Saúde realiza carreata para reforçar a 'Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres 2021'

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 24 de novembro de 2021 às 18:29

O ponto de partida será em frente à sede da Secretaria de Saúde, seguindo pelas principais avenidas da Capital

Começa nesta quinta-feira, 25, e vai até o dia 10 de dezembro, a programação da Campanha Internacional ‘16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres’. Em Palmas, a equipe de profissionais da saúde, que atua no Núcleo de Vigilância e Prevenção de Violências e Acidentes e Promoção da Saúde e Cultura de Paz (Nupav), em parceria com vários órgãos e entidades ligadas ao tema, promove, a partir das 8 horas, a ‘Carreata Nupav Mulher’, que pretende sensibilizar e conscientizar a população sobre a necessidade de erradicar a violência contra a mulher.

O ponto de partida da mobilização será em frente à sede da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), situada na Avenida Teotônio Segurado. Saindo da Semus, o percurso da Carreata segue em direção a Estação Xerente, passando pelo Aureny III, Aureny I, na Avenida I, até a Avenida Tocantins, em Taquaralto. De lá, o grupo faz o trajeto da Avenida Tocantins para JK e finaliza às 12 horas, no Parque dos Povos Indígenas.

A carreata contará com a participação de ativistas pelo fim da violência; representantes de vários órgãos públicos municipais, estaduais, Tribunal de Justiça, Defensoria Pública, Ministério Público, Instituto Brasileiro de Direito de Família (IBDFAM), além de universidades, conselhos e representantes do meio religioso.

Para a superintendente de Atenção Primária e Vigilância em Saúde de Palmas, Gilian Cristina Barbosa, a mobilização apoiada pela rede municipal de saúde da Capital é mais uma iniciativa para compartilhar conhecimento, buscando prevenir e combater a violência contra mulheres e meninas. “É mais uma oportunidade de reafirmarmos o compromisso da parceria e apoio junto à luta de todas as mulheres que sofrem vários tipos de violências, em especial enfatizando a discriminação, o preconceito e o racismo institucional e social”, cita a superintende, convidando a todos para participar da carreata.