Secretaria da Saúde realiza ação de promoção da saúde do homem para servidores

Autor: Redação Semus | Publicado em 19 de novembro de 2020 às 17:09

O evento alerta os homens sobre a importância do autocuidado e diagnóstico precoce

A Secretaria Municipal da Saúde (Semus) realiza durante toda esta quinta-feira, 19, o Dia “D” da Campanha Novembro Azul voltada para os servidores da saúde. O evento, que ocorre até o início da noite no auditório da pasta, discute a promoção da saúde e autocuidado do homem.

A ação ocorre em alusão a este mês, que na intenção de alertar os homens sobre a importância da prevenção anualmente é realizada a campanha Novembro Azul, um movimento mundial que chama a atenção para o diagnóstico precoce do câncer de próstata.

Com foco em profissionais da saúde, atuantes nos vários níveis de atenção da Rede de Atenção e Vigilância em Saúde (Raves), o evento conta com a participação de servidores públicos que compõem o quadro da secretaria, bem como homens de outras instâncias do Executivo Municipal.

A programação é voltada para palestras, rodas de discussão, atividade física laboral, apoio e temas de reflexão sobre o autocuidado, saúde mental, testagem rápida e higienização. “O Dia D também é focado na prevenção do câncer de próstata e de pênis, além de práticas integrativas como auriculoterapia, aromaterapia e massagens”, completa o gerente das Linhas de Cuidados da Atenção Primária, Ilton Batista Salgado Júnior.

Segundo Ilton, o Dia D serve justamente para promover o interesse dos homens na busca do autocuidado e saúde integral. “Esse é o momento chave para o homem buscar essa consciência”.

Câncer de Próstata

Conforme o Instituto Nacional do Câncer (Inca) para o ano de 2020 no Brasil, a estimativa é que mais de 65 mil novos casos, sendo o tipo de câncer mais incidente nos homens (excetuando-se o câncer de pele não melanoma) em todas as regiões do País, com 28,6% dos casos.

A doença é o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens brasileiros e as maiores vítimas são homens a partir dos 50 anos, além de pessoas com presença da doença em parentes de primeiro grau, como pai, irmão ou filho.