Semana começa com atividades terapêuticas no Parque Municipal da Pessoa Idosa em Palmas

Secretaria do Desenvolvimento Social

Autor: Eliene Campelo | Publicado em 19 de agosto de 2019 às 11:01

No local os idosos contam com serviços como acupuntura, capoterapia, terapia Reiki, rodas de conversa e outros

Os idosos começaram bem a semana e se reuniram no Parque Municipal da Pessoa Idosa Francisco Xavier de Oliveira, localizado na ACSU-SO 30, em Palmas, para praticar a ginástica terapêutica chinesa Lian Gong e também para fazer arte no ateliê de costura instalado no local. Mais de 50 idosos estavam no parque nesta segunda-feira, 19, pela manhã mostrando que a saúde do corpo e da mente deve ser cuidada diariamente.

 

A prática da técnica Lian Gong é coordenada pelo educador físico Álvaro Antônio, do Centro de Saúde da Comunidade da Arso 23 que dá aulas no Parque duas vezes por semana. “Atendemos aqui toda segunda-feira, às 8 horas e, na quarta-feira, às 9 horas. A aula tem duração de 45 minutos e qualquer pessoa com mais de 60 anos pode participar, basta procurar o parque, se inscrever e apresentar atestado médico liberando para fazer o exercício”, explica Álvaro Antônio.

 

Além do Lian Gong, também são ofertados aos idosos os serviços de acupuntura, capoterapia, acompanhamento psicológico, grupo de convivência, treinamento multifuncional adaptado e rodas de conversa.

 

Ateliê de Costura

 

No ateliê de costura os idosos e idosas que gostam de mostrar seus talentos com costura e bordado têm máquinas e equipamentos à disposição para criação de novas peças. Para participar basta se inscrever no Parque e verificar os horários de funcionamento.

 

A gerente do Parque Municipal da Pessoa Idosa, Silvanete Mota, explica que todas as atividades são acompanhadas por profissionais e tem como finalidade ajudar o idoso a ter uma vida ativa e com amigos. “O ateliê, por exemplo, além de ser um espaço para os participantes mostrarem suas habilidades de costura e de bordado, funciona também como um divã, onde eles conversam, se abrem, e estabelecem vínculos de confiança entre si e com a equipe do Parque”, diz a gestora.

 

No ateliê é possível praticar o bordado em tecido xadrex, crochê, bordado com fita e ponto cruz, todos com acompanhamento de uma educadora social. “É uma atividade que nos ajuda na prevenção das doenças neurológicas como o Alzheimer, pois requer muita concentração, paciência e ativa o pensamento”, destaca Silvanete.

 

 

Revisão e postagem: Iara Cruz