Semus apresenta projeto ‘Tocantins - Catarata Zero’ para médicos oftalmologistas

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 29 de novembro de 2019 às 16:15

  Todas as clínicas e hospitais oftalmológicos da Capital foram convidados para fazer o credenciamento junto ao Município


Em reunião com representantes de clínicas oftalmológicas de Palmas, o gestor da Secretaria Municipal de Saúde, Daniel Borini, e equipe técnica apresentaram o projeto ‘Tocantins - Catarata Zero’ que visa operar pacientes que estão na fila de espera por uma cirurgia. Os recursos são de emenda parlamentar da senadora Kátia Abreu, na ordem de R$ 6 milhões para todo o Estado, dos quais mais de R$ 1,8 milhões serão para Palmas.

 


Para a prefeita Cinthia Ribeiro, o projeto “além do aspecto da saúde, essa iniciativa reflete também na auto-estima dos beneficiados, pois a melhoria na qualidade de visão traz outras possibilidades/perspectivas na vida de cada um”.

 


Borini destacou que a Semus enviou carta-convite para todas as clínicas oftalmológicas de Palmas, as que tiverem interesse em participar têm um prazo de dez dias para apresentar a documentação exigida para o credenciamento junto ao Município. A expectativa é de que até o final de dezembro deste ano, os contratos sejam celebrados com os prestadores de serviço e que em até 90 todas as cirurgias sejam realizadas.

 


“Esse recurso é para usuários de Palmas e dos municípios que a gente atende, isso representa cerca de 1,8 mil cirurgias de cataratas. Vamos obedecer a  fila dos pacientes que estejam no Sistema de Regulação (SisReg) quer sejam encaminhados pelo município de Palmas ou dos municípios do interior. Então nós vamos obedecer a fila por critério de risco e também por ordem cronológica”, explicou Borini.

 


Representando a Cooperativa de Médicos Oftalmologistas do Tocantins, o médico Marcos Rodrigues destacou que a categoria em peso quer participar por entender a importância do projeto para as pessoas que aguardam na fila por essas cirurgias. “Medicina é fazer a diferença na vida das pessoas. Nós nos alegramos muito, primeiro pela oportunidade de participar desse programa e de ajudar as pessoas porque existe uma demanda muito grande no Tocantins, catalogados existem dez mil casos, mas quando a gente começar a operar com resultados bons, vamos fazer mais de 30 mil cirurgias com certeza”, disse Rodrigues, referindo-se a possibilidade de ampliação do projeto.


 

O chefe de gabinete da senadora, Renato de Assunção, informou que os R$ 6 milhões são para resolver inicialmente, 20% da demanda, e que o projeto terá continuidade nos anos seguintes. “Para esse ano, a senadora conseguiu R$ 6 milhões que serão distribuídos proporcionalmente a cada um dos 139 municípios do Tocantins e os recursos para essas cirurgias serão repassados para cinco municípios reguladores: Palmas, Porto Nacional, Paraíso, Gurupi e Tocantinópolis. A distribuição foi feita de acordo com a demanda de cada município e esses recursos já estão disponíveis nas contas das prefeituras. Não é um programa para 2019, ele tem uma sequência nos anos seguintes até que toda essa fila de cataratas seja zerada no Estado”, explicou, informando que a ideia é que as cirurgias sejam feitas dentro do Estado para facilitar o deslocamento dos pacientes.