Semus e UFT realizam ação de combate à sífilis nesta quinta, 17, junto aos universitários da Unitins

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 16 de outubro de 2019 às 14:55

  A ação faz parte do projeto ‘Sexualidade Responsável’ que visa orientar o público universitário


Com orientações sobre prevenção às infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), realização de testes rápidos, distribuição de preservativos e encaminhamentos para exames quando necessário. Essas são as ações que serão desenvolvidas pela equipe técnica da Coordenação de Infectocontagiosas da Secretaria Municipal de Saúde (Semus) e por acadêmicos da Universidade Federal do Tocantins (UFT) nesta quinta-feira, 17, no campus da Unitins, em dois momentos, das 8 às 12 horas e das 17 às 22 horas.

 


A ação faz parte do ‘Projeto Sexualidade Responsável’ do curso de enfermagem da UFT que tem como parceiros a Semus, a Associação Brasileira de Enfermagem (Aben) e a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau). A ação integra a programação da Campanha de Combate à Sífilis e Sífilis Congênita, cujo Dia D será neste sábado, 19.

 


“É uma maneira de alcançarmos o público de jovens universitários, levando informação, orientação, realizando os testes rápidos e distribuindo preservativos, para que haja uma conscientização e que estejam atentos à prevenção das infecções sexualmente transmissíveis”, ressalta o enfermeiro e coordenador de Infectocontagiosas da Semus, Eduardo Silva.

 


O enfermeiro destaca ainda que na realização do teste rápido, os casos positivos serão encaminhados para exames complementares, se necessário, e também para os Centros de Saúde da Comunidade de referência.

 


“O projeto ‘Sexualidade Responsável’, do curso de enfermagem da UFT, completa um ano nesse mês de outubro de 2019. Os alunos desenvolvem grupos de educação em saúde, distribuição de preservativos, géis lubrificantes e testagens rápidas para hepatites B e C, sífilis e HIV, com objetivo de prevenção e diagnóstico precoce e encaminhamento para o tratamento”, complementa a professora responsável pelo projeto, Mirian Cristina Almeida.

 

 




 

Edição e postagem: Lorena Karlla