Semus faz alerta sobre diagnóstico e tratamento da sífilis

Secretaria Municipal da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 28 de setembro de 2022 às 15:15

Testagem rápida é disponibilizada em todas 34 unidades de saúde da Capital

A Secretaria Municipal da Saúde (Semus) alerta a população sobre os perigos relacionados à sífilis, doença silenciosa que, quando não tratada oportunamente, pode comprometer o sistema nervoso e cardiovascular. A Semus disponibiliza de maneira contínua a testagem rápida de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) em todas as Unidades de Saúde da Família (USFs) para diagnóstico em tempo hábil para todos os usuários do Sistema único de Saúde (SUS). 

De acordo com a coordenadora técnica das Doenças Infectocontagiosas, Alcineia Ferreira, Palmas é a segunda capital com maior taxa de detecção de sífilis no país, devido à ampla oferta do teste rápido da rede municipal, ficando atrás apenas de Vitória. Conforme Alcineia, de janeiro a julho deste ano foram realizados mais de 4 mil testes realizados. A profissional ressalta que a testagem também é ofertada nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) do Núcleo Henfil. 

A Semus também realiza parcerias com instituições públicas e privadas para que a oferta seja ainda mais ampla e possa chegar ao maior número possível de usuários testados, com o objetivo de contribuir para o diagnóstico precoce, bem como o controle e identificação dos casos. 

 

A doença

O Ministério da Saúde (MS) alerta que a sífilis é uma IST curável e exclusiva do ser humano, causada pela bactéria Treponema pallidum. Pode apresentar várias manifestações clínicas e diferentes estágios (sífilis primária, secundária, latente e terciária). Nos estágios primário e secundário da infecção, a possibilidade de transmissão é maior. A sífilis pode ser transmitida por relação sexual sem camisinha com uma pessoa infectada ou para a criança durante a gestação ou parto.

Em formas mais graves da doença, como no caso da sífilis terciária, se não houver o tratamento adequado pode causar complicações graves como lesões cutâneas, ósseas, cardiovasculares e neurológicas, podendo levar à morte.