Servidor da Agtec recebe agradecimento do Hemocentro por ser doador fiel no Tocantins

Autor: Juliana Matos | Publicado em 25 de novembro de 2019 às 12:20

João Paulo Pereira Leite Júnior é doador de sangue há 13 anos; necessidade de familiares o motivou a se tornar doador frequente


Um servidor público da Prefeitura de Palmas com apenas 29 anos dá uma lição de cidadania. Trata-se do programador de computador João Paulo Pereira Leite Júnior, da Agência de Tecnologia da Informação do Município de Palmas (Agtec), doador de sangue há 13 anos.

 

 

"Eu nunca conheci ninguém que tenha recebido meu sangue, é algo que faço porque gosto muito. Sei que posso ajudar sem olhar a quem e fazer a diferença na vida de alguém", disse ele.

 

 

A primeira doação aconteceu ainda em Teresina (PI), onde residia. O motivo inicial foi atender a um familiar em tratamento de saúde. No entanto, algo o tocou quando ouviu que seu irmão mais velho, quando criança, necessitou de 50 bolsas em um momento delicado de saúde. Desde então, se tornou um doador frequente. A maior parte das doações acontece por aférese, procedimento que destina apenas determinados componentes do sangue, como as plaquetas – células.

 

 

O reconhecimento a este ato de amor foi confirmado pelo Hemocentro do Tocantins em um café da manhã oferecido a doadores fidelizados nesta segunda-feira, 25, em Palmas.

 

 

"Os doadores que se fidelizam são nossos melhores doadores. Somos muito gratos a estas pessoas que assumem esse compromisso e encaram a doação como uma realização pessoal, um ato de cidadania. Temos muito a agradecer a eles", disse o biomédico e assessor técnico do Hemocentro de Palmas, Edimar Teodoro Mourão.

 

 

Mais ajuda

 

 

Mais do que ajuda espontânea, João Paulo atende a chamados do Hemocentro, junto a outros 91 doadores. Um grupo criado no WhatsApp nos ajuda a manter contato frequente com a equipe do Hemocentro", citou ao contar como funciona o Programa Anjo da Guarda, idealizado por João Paulo, em 2017.

 

 

Segundo o Mourão, atualmente o Tocantins tem uma proporção de doadores equivalente a apenas 1,7% de sua população, quando o recomendado pela Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) deveria ser ao menos de 2%. Grande parte deste grupo realiza doações como doador de reposição, isto é, comparece ao Hemocentro para doações destinadas a atender demanda de conhecidos.

 

 

O que muitas pessoas não sabem é que não são apenas pessoas submetidas a cirurgias agendadas as beneficiados com as doações. São também beneficiadas vítimas de acidentes, pessoas submetidas a cirurgias e tratamentos como oncológicos e distúrbios de coagulação.

 

 

Por isso, o momento de agradecimento também envolveu novos mobilizadores. O coordenador regional de Jovens da Igreja Adventista, Joacir Xavier da Silva, explica que está colaborando com o Hemocentro para garantir mais doações em períodos festivos quando normalmente aumenta a demanda por bolsas de sangue. "A igreja desenvolve esse projeto em todo o Brasil e já conseguimos garantir mais de 30 mil doações. Agora estamos trazendo esse projeto Vidas por Vidas para Palmas com campanhas internas que vão com certeza auxiliar muito quem precisa", explicou.

 

 

Quer ajudar?

 

 

Para quem ainda tem dúvidas sobre o valor desta iniciativa simples, o programador de computador direciona um conselho. "Tem muita gente que acha a agulha grande, mas o que posso dizer é que a satisfação depois da picada é muito superior a qualquer incômodo", disse João Paulo Pereira Leite Júnior.

 

 

Qualquer pessoa entre 16 anos (mediante autorização dos responsáveis) e 69 anos e com mais de 50 kg em bom estado de saúde pode ser um candidato a doador. Para conhecer todos os requisitos, acesse aqui.