Simpósio em Palmas discute manejo de capivaras e prevenção de doenças

Fundação Municipal de Meio Ambiente

Autor: Juliana Matos | Publicado em 19 de agosto de 2019 às 15:43

Programação aberta à população e entidades interessadas segue até terça, 20


As capivaras são grandes mamíferos, herbívoros, que vivem em grupos próximo a córregos e lagos e, que em Palmas, sofrem pouca ameaça de predadores. Indicadores do crescimento desses grupos, especialmente o grupo instalado no Parque Cesamar, levantaram questionamentos acerca do ritmo de reprodução desses animais silvestres e questionamentos sobre como garantir que a proximidade dessa espécie com o homem e, especialmente, como realizar a prevenção de problemas ambientais e de saúde pública que podem surgir diante de um crescimento desordenado da população de capivaras.

 

 

Para oportunizar um debate adequado de alternativas de manejo e monitoramento da população de capivaras em Palmas, acontece a partir desta segunda-feira, 19, o I Simpósio sobre Manejo Populacional de Capivaras, no auditório da UniCatólica, em Palmas. O Simpósio é organizado pela Prefeitura de Palmas, através da Fundação de Meio Ambiente (FMA), Guarda Metropolitana e Secretaria Municipal de Saúde (Semus). A abertura do encontro aconteceu pela manhã mas, as discussões seguem ao longo do dia através de palestras e mesas-redondas, conforme programação abaixo.

 

 

Um dos assuntos apresentados neste primeiro dia de simpósio trata do diagnóstico populacional de capivaras, e que identificou em 2018 em Palmas 172 capivaras, das quais 74 pertencem a um único grupo que usa o Parque Cesamar como espaço de convivência. Outra informação relevante obtida por diagnóstico populacional da espécie, segundo explicou a bióloga Bruna Almeida da FMA, indicou, inclusive, pontos com risco de acidente de trânsito em razão da movimentação das capivaras por rodovias e avenidas.

 

 

“Esse simpósio vem trazer mais esclarecimento para a população sobre a presença das capivaras na Capital e reunir parceiros estratégicos para pensar alternativas para o manejo desses animais, debater sobre a convivência do homem com a capivara e também sobre possíveis impactos ambientais e urbanos decorrentes de um aumento populacional de capivaras e, consequente diminuição de oferta de alimento e surgimento de doenças, por exemplo”, detalha o biólogo e diretor de Gestão Ambiental da FMA, Marcelo Grison.

 

 

Parcerias

 

 

Na abertura do simpósio, a presidente da Fundação Municipal de Meio Ambiente (FMA), Meire Carreira, e o secretário municipal de Saúde (Semus), Daniel Borini frisaram ambos que não há casos de febre maculosa em Palmas, doença na qual a capivara pode servir de hospedeira para o carrapato transmissor. No entanto, os gestores reforçaram que o trabalho preventivo é de extrema importância para garantir a segurança de todos que compartilham de espaços verdes com animais silvestres. "Estamos aqui para trazer esse conceito de trabalho preventivo através de parcerias assertivas, que vão deixar um legado institucional e fomentar grandes contribuições vindas de parceiros e da academia", disse Meire Carreira.

 

Com a apoio do Centro Universitário Luterano de Palmas (Ceulp/Ulbra) e da UniCatólica, o simpósio já se configura, desta forma, como o espaço oportuno para colaboração da academia. “É sempre importante frisar que cuidar do bem estar dos animais é cuidar do meio ambiente e das pessoas que o compartilham”, disse a professora e médica veterinária da UniCatólica, Helen Roberta Amaral. Também presente o reitor do Ceulp/Ulbra Adriano Chiarani, frisou a validade da parceria do setor público com a educação superior.

 

"Quero trabalhar no campo de conservação e preservação de animais silvestres. Quando o professor falou sobre o simpósio, aproveitei para estudar a fundo e acho que vai ser muito importante participar e ouvir a opinião de outras pessoas sobre tantas questões ligadas ao controle de população e de transmissão de doenças", disse a estudante Ana Vitória Lima.

 

Além de estudantes e docentes, profissionais da Secretaria de Estado da Saúde do Tocantins (SES-TO), do Conselho Federal de Farmácia (CFM), do Batalhão de Polícia Militar Ambiental do Tocantins (BPMA-TO), do Corpo de Bombeiros Militar do Tocantins (CBM-TO), do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), da Guarda Metropolitana de Palmas, FMA e da Semus participam da programação.

 

Simpósio

 

 

Vale ressaltar que as atividades do simpósio nesta segunda-feira, 19, e terça-feira, 20, são abertas a toda população, assim como a comunidade acadêmica de outras instituições de ensino e cidades, profissionais da área privada e gestores da ambiental e de saúde pública, por exemplo. Nos dois últimos dias de simpósio (dias 21 e 22/08), no entanto, as atividades serão dedicadas ao grupo de trabalho envolvido na programação e parceiros convidados.

 

 

Programação

 

Segunda-feira, 19 (continuação)

14h - PALESTRA 2: FMB e Lyme

Local: Auditório da UniCatólica

(Dr. Mônica Silva Dias FrancoInfectologista)

 

15h30 – MESA-REDONDA: Impacto Ambiental e Urbano da Fauna de Capivaras

Local: Auditório da UniCatólica

(Mediador: Marcelo Grison, Convidados: Naturatins, Representante da BPMA, Representante da GMP, Prof. Dr. Marcos Vinícius de Souza)

 

Terça-feira, 20

8h – PALESTRA 3: Controle ético de capivaras em centros urbanos

Local: Auditório do Ceulp/Ulbra

(Prof. Dr. Marcos Vinícius de Souza)

9h30 – PALESTRA 4: Existem riscos ao se manejar grandes roedores selvagens?

Local: Auditório do Ceulp/Ulbra

(Prof. Dr. Marcos Vinícius de Souza)

 

14h - PALESTRA 5: A Extrapolação Alométrica como ferramenta na contenção farmacológica de grandes roedores.

Local: Auditório do Ceulp/Ulbra

(Prof. Dr. Marcos Vinícius de Souza)

15h30 –  PALESTRA 6: Modulação comportamental: uma aliada no manejo de animais selvagens.

Local: Auditório do Ceulp/Ulbra

(Prof. Dr. Marcos Vinícius de Souza)

 

16h30 – Encerramento da programação para o público geral

 

 

 

Quarta-feira, 21 (para convidados)

8h - TEÓRICO I:

Administração de fármacos a distância

Local: Clínica Veterinária da UniCatólica

 

14h - PRÁTICA I: Confecção de Dardos

Local: Parque Cesamar

 

Quinta-feira, 22 (para convidados)

8h - PRÁTICA II: Cirurgia

Local: Hospital Veterinário do Ceulp/Ulbra

14h - PRÁTICA III: Cirurgia

LOCAL: Hospital Veterinário do Ceulp/Ulbra.

 

 


Edição e postagem: Lorena Karlla