Trabalhadores que salvam vidas e fazem a diferença no serviço público

Secretaria da Saúde

Autor: Redação Semus | Publicado em 30 de abril de 2019 às 11:25

Claudete Nascimento faz a diferença no Samu como sendo a primeira mulher a conduzir uma ambulância do serviço

Eles são uma força silenciosa, um motor na engrenagem da vida. Nos dão a certeza de segurança e tranquilidade e que estarão lá mesmo nos momentos mais difíceis, se não de todos, mas na grande maioria de nós. No Sistema Único de Saúde, especialmente na Secretaria de Saúde de Palmas, são mais de 3.300 trabalhadores. Eles saem de casa todos os dias para colaborar com suas profissões e levam como missão, salvar o que temos de mais precioso, a vida.


Desde 2005, no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192) da Capital, ela faz história por ser a primeira mulher a conduzir uma ambulância do serviço, como socorrista no Brasil. De voz serena, mas intensa no agir, Claudete Nascimento, conta que salvar vidas não foi sua primeira opção, mas descobriu na profissão o amor pela missão que carrega junto com o macacão azul. “Eu era microempresária e tinha três filhos, que já estavam saindo da adolescência, quando decidi prestar o concurso da saúde. Na oportunidade me perguntei o que eu sabia fazer, e eu tinha muita facilidade para dirigir, foi então que decidi prestar concurso para o Samu e passei. Tem sido uma experiência muito gratificante. É maravilhoso ouvir de um paciente, ‘olha você se lembra como eu estava, olha como estou agora, estou aqui vivo para contar a história’, é maravilhoso e gratificante. Trabalhar no Samu é uma oportunidade ímpar de salvar vidas”, descreve orgulhosa.


Quando questionada sobre a pressão que a profissão exige, ele explica que sempre sente um frio na barriga quando a situação é muito grave, mas que busca fazer o melhor. E lembra que nem sempre é possível chegar a tempo. “Em 2015 atendemos o chamado de um acidente na faixa de na LO-01, quando uma mãe atravessava a avenida na faixa com o bebê no colo. O bebê não resistiu vindo a óbito no local. Foi uma semana em que o Samu inteiro chorou, foi muito triste”, lamenta.


Trabalho de conscientização



Para evitar acidentes como esse, o Samu desenvolveu o projeto ‘SamuziTO’, onde a socorrista leva para crianças, de escolas públicas, orientações sobre prevenção de acidentes de trânsito, noções básicas de primeiros socorros e prejuízos do trote. “Nosso objetivo é orientar e conscientizar sobre as situações que poderiam ser evitadas e formar os futuros motoristas, sabendo da responsabilidade que eles terão ao dirigir um veículo. É uma sementinha que estamos plantando e esperamos poder um dia colher frutos de um trânsito melhor para todos”, ressalta.



Profissionais da saúde


A rede de saúde da Capital conta com profissionais das mais diversas áreas de saúde como Medicina, Nutrição, Psicologia, Odontologia, Educação Física, Biomedicina, Medicina Veterinária, Biologia, Farmácia, Serviço Social, Bióloga, Fonoaudiologia, Enfermagem, Administração, Engenharia, Arquitetura, além de agentes de saúde e endemias e toda a parte administrativa.


O secretário de saúde de Palmas, Daniel Borini, lembra que para o usuário obter um atendimento em saúde com qualidade e eficiência, é fundamental que o trabalho de toda a equipe esteja sincronizado e harmônico. “Buscamos trabalhar sempre em equipe, pois assim somos mais criativos e eficientes na resolução de problemas, produzimos mais e com maior qualidade, além de atuarmos com mais autonomia e motivação” revela.


Borini diz que no Dia do Trabalhador, comemorado nesta quarta-feira, 1º de maio, o que deseja e vem lutando é pelo aprimoramento dos serviços e assistência dada aos trabalhados, ao citar o pagamento da data-base e a progressão dos servidores da saúde.