Usuários do Caps AD III participam do 1° dia de evento que celebra a Luta Antimanicomial

Conselho Municipal de Saúde

Autor: Elionay Carvalho - estagiária sob supervisão da Diretoria de Jornalismo da Secom | Publicado em 14 de maio de 2024 às 06:36

Em 18 de maio, é comemorado em todo o país o dia nacional do movimento; programação segue até a próxima terça-feira

Nesta segunda-feira, 13, iniciou-se a programação do evento 'Libertamente: Luta Antimanicomial de Palmas'. A abertura ocorreu no Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas (Caps AD III) pela manhã, com várias atividades, como cine debate, no qual foi feita a exposição de documentário, roda de conversa, exposição de artigos produzidos pelos usuários, musicoterapia e apresentação teatral com o tema "Passos da Loucura".

A enfermeira e preceptora da Residência de Saúde Mental da Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp), Joicy Princeza de Portugal, foi uma das administradoras das atividades realizadas pela manhã e explicou como funcionou a dinâmica no período da manhã. 

“Iniciamos com o ‘Corredor da Loucura’ e uma exposição de imagens relacionadas ao manicômio. Os participantes exploraram exposições artísticas feitas pelos próprios pacientes, assistiram a um documentário intitulado ‘Passageiros de Segunda Classe’ e participaram de uma roda de conversa sobre a evolução do tratamento oferecido, comparando o passado dos manicômios com o presente dos Caps. Também teve uma dramatização teatral que abordou o tratamento dos manicômios, seguida por um debate sobre a importância do tratamento atual oferecido pela Caps.”

À tarde, as atividades continuaram com a exposição de documentário, confecção de cartazes e apresentação cultural com os usuários. Conforme divulgado pela Fesp, a programação seguirá até o dia 21 de maio. Confira aqui.

A usuária dos serviços oferecidos pelo Caps, Rosilda dos Santos, estava participando do evento no período da tarde e destacou a importância do equipamento. “O evento de hoje nos faz refletir sobre como o tratamento costumava ser no passado e a diferença de como está atualmente. As pessoas têm liberdade de fazer suas próprias escolhas, sem estar trancadas e sem sofrimentos. Aqui aprendemos muitas coisas, além de receber o tratamento adequado, temos a possibilidade de nos reabilitar e adquirir conhecimento para qualquer tipo de trabalho, tudo por meio do Caps.”

“O evento da luta antimanicomial do dia 18 de maio é importante por representar a continuidade das melhorias e programas estabelecidos no passado. Essa luta é significativa, pois direciona a atenção da população para os serviços de saúde mental, como o Caps, e para a importância da saúde mental na vida de cada pessoa”, explicou a residente do Programa de Residência em Saúde Mental da Fesp, Marcelia Leal.