07/12/2017 às 17h11

Seminário em Saúde Materno-infantil: Doutor Hugo Sabatino defende processo natural do nascimento

image“O parto natural sem drogas resulta na satisfação da mãe ao facilitar o nascimento de um novo ser", destacou o especialista durante o seminário

“O parto natural sem drogas resulta na satisfação da mãe ao facilitar o nascimento de um novo ser", destacou o especialista durante o seminário

Fotógrafo: Igor Flávio

Fechar

Redação Semus


“Os mecanismos do parto e amamentação são processos fisiológicos que não requerem participação médica e algumas tecnologias modernas desconsideram este achado e colocam uma grande fatia da população em risco.” Essa foi a opinião do médico ginecologista Hugo Sabatino ao ministrar o painel “Humanização do Parto e Nascimento”, durante I Seminário de Integração do Cuidado Responsável em Saúde Materno-infantil que acontece nesta quinta e sexta, 7 e 8, no Auditório Cuica, na Universidade Federal do Tocantins (UFT).

 

Formado na Universidade Nacional de Cordova (Argentina), com doutorado na Universidade da República do Uruguai e Livre Docência na Universidade Estadual de Campinas (SP), Sabatino falou sobre os três pilares que definem o tema humanização do parto e nascimento. São eles: conhecer e respeitar os processos fisiológicos da gestação, parto, puerpério e aleitamento; permitir a participação multiprofissional e multidisciplinar; e respeitar costumes regionais.

 

O primeiro pilar consiste em: oferecer cursos de preparação ao parto independente do pré-natal, estimular partos naturais (sem drogas), permitir deambulação (passeio) no período de dilatação, não utilizar de enteroclisma (lavagem intestinal) e tricotomia (raspagem de pelos), permitir alimentação leve e hidratação, estimular parto em posição de cócoras, não realizar episiotomia (corte) e cesáreas desnecessárias, permitir o grito e não separar a mãe do bebê.

 

O segundo pilar diz respeito à participação outros profissionais durante o parto além do médico e enfermeiro, como parteiras, doulas, psicólogas, fisioterapeutas e nutricionistas. E o terceiro pilar leva em consideração os costumes regionais e individuais dos casais respeitando suas opiniões quanto ao local adequado para o parto, partos na água, mitos e ritos.

 

“O parto natural sem drogas resulta na satisfação da mãe ao facilitar o nascimento de um novo ser, respeitando o processo natural, tendo ela como protagonista”, finalizou Sabatino.

 

A servidora Pâmela Carolina Gomes, que atua na Diretoria de Atenção Primária da Secretaria Estadual de Saúde, assistiu ao painel e pontuou o que lhe marcou. “O ponto mais interessante para mim foi quando o doutor Hugo falou sobre o parto humanizado sem intervenção mecânica. Porque eu acredito que o dever do médico é tirar a dor e não provocar mais dor, nesse caso à mãe e ao bebê”, disse.

 




(Edição/postagem: Lorena Karlla)

Portal do Contribuinte

Aqui você encontra os serviços on-line disponibilizados pela prefeitura.

Nota Quente

Programa de incentivo à emissão de notas fiscais gerando crédito para concorrer a prêmios.

Utilidade pública

Este espaço facilita o acesso do cidadão aos serviços prestados pelo município.

Servidor

Canal destinado à assuntos dedicados ao servidor público municipal.

Concursos

Canal destinado à concursos realizados pela Prefeitura de Palmas.

Turista

Conheça Palmas. Seus pontos turísticos, sua diversidade e eventos você encontra aqui.

PROJETOS E AÇÕES

+ PROJETOS E AÇÕES