Fazendinha do Calor Humano traz soluções para áreas degradadas e reflorestamento com sistemas agroflorestais

Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural

Autor: Wédila Jácome | Publicado em 18 de maio de 2023 às 13:40

Aliada ao desenvolvimento socioambiental, a indiativa é uma opção ao produtor que deseja cultivar em área de preservação, conservando a vegetação nativa

A Fazendinha do Calor Humano trouxe para esta edição da Agrotins 2023 mais uma solução inovadora, desta vez voltada à áreas degradadas e práticas de reflorestamento, utilizando o sistema agroflorestal. Na vitrine tecnológica, os produtores têm a oportunidade de observar de perto como é possível realizar o plantio de árvores nativas, combinando-as com árvores frutíferas e culturas de curta duração, como abóbora, quiabo e milho.

Em parceria com o Instituto Perene, o sistema agroflorestal ou quintais agroflorestais, trazido pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (seder), se apresenta como uma alternativa para produtores que desejam preservar o meio ambiente em suas terras e conservar o solo, ao mesmo tempo em que obtêm lucratividade através da introdução de culturas que tragam retorno financeiro.

Esse sistema é uma abordagem sustentável que aos poucos vem ganhando força e se mostra uma ótima opção também ao pequeno produtor, uma vez que combina árvores nativas, culturas agrícolas e reaproveitamento dos materiais orgânicos em uma mesma área, de forma integrada e harmoniosa. Na Fazendinha do Calor Humano os produtores podem observar os benefícios desse sistema, as folhas podadas das bananeiras, servem de cobertura ao solo que recebe mais nutrientes e consegue conservar por mais tempo a umidade do solo. 

O cultivo combinado, além de se apresentar com solução para o reflorestamento, permitindo que áreas anteriormente degradadas sejam recuperadas e utilizadas de forma produtiva, favorece a manter as pragas longe da produção.

O produtor rural Sebastião Sales teve a oportunidade de aprender sobre as técnicas de plantio e manejo de sistemas agroflorestais e ainda conferir que é possível plantar árvores nativas e frutíferas intercaladas com culturas de curta duração, como abóbora, quiabo e milho, formando um ecossistema diversificado e equilibrado. O produtor também pediu para que o Instituto Perene o ajude a desenvolver em seu sítio, um quintal agroflorestal.

O Instituto Perene  oferece suporte técnico aos produtores interessados em implementá-los, compartilha conhecimentos sobre as espécies mais adequadas para cada região, as interações entre as plantas e os cuidados necessários para garantir o crescimento saudável das árvores.