Saúde de Palmas oferta capacitação sobre atendimento odontológico

Fundação Escola de Saúde Pública

Autor: Redação Fesp | Publicado em 05 de agosto de 2022 às 10:09

Ação é uma parceria entre a Semus e Fesp e capacitou cerca de 100 profissionais sobre a prestação do serviço junto aos pacientes com hanseníase

Cerca de 100 profissionais participaram de capacitação sobre atendimento odontológico em pacientes com hanseníase. O curso foi realizado no auditório da Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp), na última quarta-feira, 03, e contou com a parceria da Secretaria Municipal da Saúde (Semus), tendo como objetivo preparar odontólogos, técnicos e auxiliares para atuar no tratamento primário desta patologia.

A hanseníase é uma doença crônica causada pela bactéria Mycobacterium leprae, e as infecções odontológicas podem estar relacionadas a episódios de reações hansênicas em que, nos casos mais graves, é frequente o aparecimento de lesões bucais. Diante da gravidade da doença, a Semus, em parceria com a Fesp, promoveu uma capacitação voltada para profissionais da área da saúde bucal da rede municipal de Saúde, com o intuito de ampliar o conhecimento sobre a doença, bem como qualificá-los para o estabelecimento de um diagnóstico precoce.

Para a odontóloga Tailla Paiva, que trabalha na Coordenação Técnica Municipal de Hanseníase e Tuberculose da Semus, o curso de capacitação oferecido buscou ampliar o conhecimento dos profissionais da área a respeito do assunto. “Os pacientes com esse agravo possuem uma grande predisposição a terem uma reação hansênica, ou seja, uma reação inflamatória devido à doença. Por isso, o tema teve como foco a hanseníase na área da odontologia, uma vez que um dos motivos dessas reações são infecções odontológicas. Então, a ideia é promover a saúde bucal e eliminar os focos de infecção”, explicou.

“Para que isso aconteça, os cirurgiões-dentistas, auxiliares e técnicos precisam se capacitar para tratar tais pacientes. Estamos aqui, hoje, fazendo uma qualificação para entendermos um pouco mais sobre essa patologia. Este evento é importante porque faz com que os profissionais da área da saúde bucal estejam cada vez mais capacitados para trabalhar no SUS, uma vez que estão na linha de frente do tratamento”, finalizou Tailla.

A odontóloga Gisele Medeiros, que atua na Unidade de Saúde da Família (USF) Eugênio Pinheiro, no Jardim Aureny I, ressaltou a relevância do curso desenvolvido. “Este treinamento é importante porque o profissional precisa estar atento aos perigos envolvidos, tanto para o paciente quanto para o odontólogo. A hanseníase ainda é uma doença muito estigmatizada em nossa sociedade e o diagnóstico precoce é fundamental. É imprescindível que saibamos diagnosticar e tratar esta patologia. O tratamento bucal faz parte da recuperação dos pacientes, daí a necessidade de estarmos preparados. Fico feliz em poder participar de qualificações assim”, relatou.